Polarys | Ibramed

Polarys Ibramed

Comparar
O Equipamento

O POLARYS é uma avançada tecnologia voltada para redução da gordura localizada e modelagem não invasiva do contorno corporal por meio do sistema inovador de CRIOLIPÓLISE. O equipamento conta com 4 modalidades de tratamento: CRIOLIPÓLISE CONVENCIONAL, de CONTRASTE, de REPERFUSÃO e de PREPARO. É um tratamento seguro por apresentar um sistema de resfriamento eficaz que garante a estabilidade da temperatura selecionada durante o uso simultâneo de ambos os aplicadores em todo tempo de tratamento. Permite o ajuste da temperatura no display (variável -8°C à +8°C), com visualização real e instantânea da temperatura do aplicador, evitando efeitos adversos como a tão temida queimadura. No pré-lançamento, acompanha 5 aplicadores de diversos tamanhos (2 P, 2 M e 1G), o que permite o tratamento de diferentes áreas e biótipos. Possibilita o uso de dois aplicadores com controles independentes trabalhando simultaneamente para melhores resultados, com manutenção efetiva e individual de temperatura. Sistema de vácuo efetivo na manutenção da sucção durante o uso simultâneo dos aplicadores. Possui vácuo contínuo, e 3 modos de pulsado, o que garante tratamento de áreas mais doloridas e aderidas com maior conforto e menor risco de equimoses. O controle do modo e intensidade do vácuo pode ser realizado no próprio aplicador. Para a Criolipólise de Contraste, de Reperfusão e de Preparo, o equipamento possibilita o ajuste do tempo de aquecimento pré e/ou pós resfriamento. Possui MODO DE SELEÇÃO MANUAL para livre programação dos parâmetros e STEPS MODE para criar e salvar modos de tratamento personalizados. Apresenta CLEAN MODE, sistema de autolimpeza dos aplicadores e cabos, o que garante a higienização efetiva, praticidade e maior durabilidade do equipamento. Design moderno, fácil deslocamento e tela touch screen. Tutorial informativo com imagens e informações precisas que otimizam o uso. Acompanha acessórios personalizados e funcionais, tais como suporte almofadado, faixas elásticas e régua para marcação da área de tratamento que facilitam a aplicação e proporcionam maior conforto ao paciente.

Indicações

• Tratamento conservador da gordura localizada.
• Modelagem não-invasiva do contorno corporal.
• Pré-operatório de lipoaspiração.

Contraindicações

• Gestantes
• Dispositivo eletrônico implantado (exemplo: marcapasso cardíaco)
• Áreas neoplásicas ou sobre áreas na qual algum tumor tenha sido removido
• Crianças, idosos ou pacientes com alta sensibilidade ao frio (crioglobulinemia)
• Intolerância a crioterapia
• Síndrome de Rayanud
• Sobre áreas isquêmicas (nas quais o suprimento sanguíneo pode ser incapaz de suprir a demanda metabólica resultando em necrose)
• Sobre feridas abertas ou infectadas

Diferenciais

• Possui 4 modos de Criolipólise:
» Criolipólise Convencional: somente resfriamento.
» Criolipólise de Contraste: aquecimento – resfriamento– aquecimento
» Criolipólise de Reperfusão: resfriamento – aquecimento
» Criolipólise de Preparo: aquecimento – resfriamento
• Ajuste do tempo de aquecimento inicial e/ou final.
• Uso simultâneo de dois aplicadores com controles independentes, o que possibilita o tratamento de áreas diferentes, assim como promove aplicação em pacientes distintos ao mesmo tempo.
• Reconhecimento automático do tamanho do aplicador que está sendo utilizado.
• Sistema de resfriamento eficaz:
» Controle de temperatura individual no Peltier que garante manutenção da temperatura pré-ajustada e segurança na aplicação.
» Reservatório de água com grande capacidade de armazenamento (aproximadamente 10 litros), otimizando a extração de temperatura.
• Controle fiel da temperatura do Peltier: visualização real e instantânea da temperatura, ajustável de -8°C à +8°C. Estudos comprovam que temperaturas negativas não potencializam o efeito, aumentando o risco de lesão ou reação adversa.
• 4 modos de vácuo: contínuo e pulsado 1, 2 e 3. Os modos pulsados permitem o tratamento de áreas mais doloridas e aderidas com maior conforto e menor risco de hematomas. Efetivo em manter a sucção no uso simultâneo dos aplicadores.
• STEPS MODE: permite a configuração de modos de tratamentos personalizados.
• CLEAN MODE: exclusivo sistema de autolimpeza dos aplicadores e cabos.
• Acessórios personalizados e funcionais: almofadas e faixas elásticas para suporte do aplicador, réguas para demarcação da área a ser tratada e fluido higienizante para pele e aplicador.
• Indicador luminoso de calor e frio no aplicador.
• Diversos tamanho de aplicadores, o que permite o tratamento de diferentes áreas e biótipos.
• Suporte removível dos aplicadores.
• Botão Pause: interrompe a terapia sem perder dados programados.
• Senha para desbloqueio: acesso permitido somente para pessoas autorizadas.
• Tutorial informativo contendo informações sobre:
» Indicações
» Contraindicações
» Possíveis reações adversas
» Áreas de tratamento
» Como programar o equipamento
» Como preparar o paciente
» Técnicas de aplicação
• Design moderno e fácil deslocamento.

Criolipólise
A Criolipólise Convencional pode ser descrita como sendo um sistema que atua por meio do resfriamento (extração de temperatura) em conjunto a um sistema de sucção a vácuo assistido, gerando cristalização e subsequente apoptose das células do tecido adiposo.
A Criolipólise de Contraste inclui períodos de aquecimento no início e no final do procedimento. A técnica se baseia no uso da temperagem (calor/frio/calor – técnica utilizada na indústria alimentícia para induzir a cristalização de lipídeos) para favorecer a cristalização do maior número de adipócitos com a possibilidade de uma maior destruição celular.
A Criolipólise de reperfusão inclui período de aquecimento no final do procedimento. O uso do calor após o tratamento convencional pode se sustentar também pela hipótese da formação de espécies reativas de oxigênio, pois favorece a reperfusão/recuperação tecidual de forma possivelmente mais acentuada com melhora de resultados por indução de danos adicionais aos adipócitos do local tratado.
A Criolipólise de preparo inclui períodos de aquecimento no início do procedimento. Objetiva aumentar a maleabilidade de tecidos mais compactados e favorecer a sucção do tecido pelo aplicador.

Efeitos Fisiológicos Esperados

• Cristalização dos lipídeos (causada pelo frio).
Determinada extração de temperatura (aproximadamente +8 °C) induz a cristalização da gordura contida nos adipócitos. Esse efeito dispara a morte celular dos adipócitos que são muito mais susceptíveis ao frio que as outras células da pele e tecido subcutâneo. Os efeitos induzidos pela cristalização são irreversíveis.
• Lesão por reperfusão (por espécies reativas de oxigênio).
Dano tecidual causado quando o fornecimento de sangue retorna para o tecido após um período de isquemia ou falta de oxigênio. A dinâmica entre estase vascular e reperfusão tecidual induz a produção de ROS (espécies reativas de oxigênio). A ausência de oxigênio e nutrientes do sangue durante o período de resfriamento cria uma condição na qual o restabelecimento da circulação resulta em inflamação e dano oxidativo através da indução do stress oxidativo, ao invés da restauração da função normal.
• Paniculite inflamatória (inflamação produzida pelo frio).
O processo inflamatório causado nos adipócitos pela cristalização e subsequente reperfusão se reflete pelo fluxo de células inflamatórias que pode ser observado por volta do 3º dia após o tratamento e apresenta um pico aproximadamente no 14º dia com presença de infiltrado contendo histiócitos, neutrófilos, linfócitos e outras células mononucleadas.
• Gradual remoção dos resíduos celulares por mecanismos naturais (neurófilos e macrófagos).
Entre 14º e 30º dia pós-tratamento, macrófagos e outros fagócitos envolvem e digerem as células adiposas como parte de uma resposta natural à injuria.
• Diminuição do número de adipócitos e remodelagem corporal.
4 semanas após o tratamento, a inflamação e o volume de adipócitos diminuem. Entre 2 a 3 meses depois do tratamento os septos interlobulares se espessam e o processo inflamatório desaparece.

Referências Bibliográficas

• Hawkins SW. Original research clinical applications of cryotherapy among. 2016;11(1):141-148.
• Jalian HR, Avram MM. Cryolipolysis: a historical perspective and current clinical practice. Semin Cutan Med Surg. 2013;32(1):31-34.
• Fonseca-Alaniz MH, Takada J, Alonso-Vale MIC, Lima FB. O tecido adiposo como centro regulador do metabolismo. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2006;50(2):216-229.
• Ingargiola MJ, Motakef S, Chung MT, Vasconez HC, Sasaki GH. Cryolipolysis for Fat Reduction and Body Contouring. Plast Reconstr Surg. 2015;135(6):1581-1590.
• Manstein D, Laubach H, Watanabe K, Farinelli W, Zurakowski D, Anderson RR. Selective cryolysis: A novel method of non-invasive fat removal. Lasers Surg Med. 2008;40(9):595-604.
Pinto HR, Garcia-Cruz E, Melamed GE. A study to evaluate the action of lipocryolysis. Cryo Letters. 2012;33(3):177-181.
• Ferraro G a., De Francesco F, Cataldo C, Rossano F, Nicoletti G, D’Andrea F. Synergistic effects of cryolipolysis and shock waves for noninvasive body contouring. Aesthetic Plast Surg. 2012;36(3):666-679.
• Derrick CD, Shridharani SM, Broyles JM. The Safety and Efficacy of Cryolipolysis: A Systematic Review of Available Literature. Aesthetic Surg J. 2015:1-7. doi:10.1093/asj/sjv039.
• Zelickson B, Egbert BM, Preciado J, et al. Cryolipolysis for noninvasive fat cell destruction: Initial results from a pig model. Dermatologic Surg. 2009;35(10):1462-1470.
• Nelson A a., Wasserman D, Avram MM. Cryolipolysis for Reduction of Excess Adipose Tissue. Semin Cutan Med Surg. 2009;28(4):244-249.
• Coleman SR, Sachdeva K, Egbert BM, Preciado J, Allison J. Clinical Efficacy of Noninvasive Cryolipolysis and Its Effects on Peripheral Nerves. Aesthetic Plast Surg. 2009;33(4):482-488.
• Klein KB, Zelickson B, Riopelle JG, et al. Non-invasive cryolipolysisâ„¢ for subcutaneous fat reduction does not affect serum lipid levels or liver function tests. Lasers Surg Med. 2009;41(10):785-790.
• Avram MM, Harry RS. CryolipolysisTM for subcutaneous fat layer reduction. Lasers Surg Med. 2009;41(10):703-708.
• Stevens WG, Pietrzak LK, Spring M a. Broad Overview of a Clinical and Commercial Experience With CoolSculpting. Aesthetic Surg J. 2013;33(6):835-846.
• Dierickx CC, Mazer JM, Sand M, Koenig S, Arigon V. Safety, tolerance, and patient satisfaction with noninvasive cryolipolysis. Dermatologic Surg. 2013;39(8):1209-1216.
• Krueger N, Mai S V, Luebberding S, Sadick NS. Cryolipolysis for noninvasive body contouring: clinical efficacy and patient satisfaction. Clin Cosmet Investig Dermatol. 2014;7:201-205.
• Boey GE, Wasilenchuk JL. Enhanced clinical outcome with manual massage following cryolipolysis treatment: a 4-month study of safety and efficacy. Lasers Surg Med. 2014;46(1):20-26.
• Chopra K, Tadisina KK, Stevens WG. Interesting Case Series Cryolipolysis in Aesthetic Plastic Surgery.
• Stevens WG, Bachelor EP. Cryolipolysis Conformable-Surface Applicator for Nonsurgical Fat Reduction in Lateral Thighs. Aesthetic Surg J. 2015;35(1):66-71.
• Shek SY, Chan NPY, Chan HH. Non-invasive cryolipolysis for body contouring in Chinese-a first commercial experience. Lasers Surg Med. 2012;44(2):125-130.
• Sasaki GH, Abelev N, Tevez-Ortiz a. Noninvasive Selective Cryolipolysis and Reperfusion Recovery for Localized Natural Fat Reduction and Contouring. Aesthetic Surg J. 2014;34(3):420-431. doi:10.1177/1090820X13520320.
• Kilmer SL, Burns AJ, Zelickson BD. Safety and efficacy of cryolipolysis for non invasive reduction of submental fat. Lasers Surg Med. 2015;(October):1-11.
• Pinto H, Arredondo E, Ricart-jané D. EValuation of adipocytic changes after a simil-lipocryolysis stimulus. 2013;34(1):100-105.
• Chocolate D De, Alimentos-ital T De. Revisão : Temperagem ou Pré- Cristalização do Chocolate. Brazilian J Food Technol. 2004;7(1):23-30.
• Rodrigues-ract JN, Cotting LN, Poltronieri TP, Claro R, Gioielli LA. Crystallization behavior of structured lipids by chemical interesterification of milk fat and sunflower oil. 2010;2008(003654):258-267.
• Rattner BP. In this issue of Epigenetics. Epigenetics. 2014;9(2):183-185. doi:10.4161/epi.27834.
• Pinto H, Ricart-jané D, Pardina E. Pre and post lipocryolysis thermic conditioning enhances rat adipocyte destruction . 2014;35.
• Pinto H, Melamed G, Investigaciones I De, Estéticas E. Pre- and post-session tempering improves clinical results Contrast lipocryolysis. 2014;3(3):212-214.
• Livingston E, Vons C. Adverse effects of lipocryolysis: Analysis of 28 cases. Jama. 2015;313(23):2327-2328.

Tratamentos

Sugestão de Áreas de Tratamento

Área de Tratamento Corporal

Sugestões de áreas comumente tratadas. Outras regiões podem ser tratadas.
Sugestões de áreas comumente tratadas. Outras regiões podem ser tratadas.

 

Área de Tratamento Corporal

Sugestões de áreas comumente tratadas. Outras regiões podem ser tratadas.
Sugestões de áreas comumente tratadas. Outras regiões podem ser tratadas.

 

Abdome Infraumbilical

Proteja adequadamente a região da cicatriz umbilical
Proteja adequadamente a região da cicatriz umbilical

 

Abdome Supraumbilical

Proteja adequadamente a região da cicatriz umbilical
Proteja adequadamente a região da cicatriz umbilical

 

Região de Flancos

 

Região Interna de Coxa

 

Região de Culote

 

Região Infraescapular

 

Região Lombar

 

Região Posterior de braço

 

Região Infraglútea

 

Região Axilar Anterior

 

 Região Axilar Posterior

 

Região Interna de Joelho

 

Região de Submento

*Atente-se as indicações e contraindicações

Perguntas frequentes
Quais são os efeitos promovidos no tecido pela criolipólise?
Os efeitos são cristalização dos lipídeos por extração de temperatura, paniculite lobular (inflamação causada pelo frio), reperfusão tecidual e fagocitose.

Quais são as principais áreas de tratamento?
Áreas do tronco (exceto região precordial), pescoço (exceto região de carótidas e tireoide), região pélvica, membros superiores e inferiores com presença de gordura localizada.

Quais são as principais precauções que devem ser tomadas ao se aplicar a criolipólise?
Deve-se verificar atentamente a presença de contraindicações, realizar a completa anamnese do paciente, assim como avaliação fotográfica, perimetria e adipometria para acompanhar a evolução clínica do paciente. Também deve-se verificar os medicamentos que possam interferir no tratamento, inspecionar o aplicador antes do início de cada tratamento, demarcar a área a ser tratada, a fim de direcionar o posicionamento da membrana anticongelante e do aplicador, posicionar o paciente de forma confortável e de maneira que exponha a área a ser tratada. É importante que, antes de interromper a sucção ao final do tratamento e realizar o desacoplamento, o profissional segure o aplicador firmemente para evitar a queda do mesmo.

Qual o tempo médio de aplicação da criolipólise? Qual deve ser o intervalo entre as sessões?
O tempo de resfriamento deve ser entre 45 e 60 minutos. No entanto, na Criolipólise de Contraste, Reperfusão e de Preparo, o tempo de aplicação é maior devido ao tempo de aquecimento pré e/ou pós resfriamento. Os intervalos entre as sessões podem variar de 60 a 120 dias após a primeira aplicação.

Como realizar o abastecimento do reservatório de água do POLARYS?
Para o correto funcionamento do sistema, é necessário abastecer o reservatório com água. O abastecimento deve ser feito com o equipamento ligado e aplicadores conectados. Antes de ligar o POLARYS, posicione os aplicadores em seus suportes, em seguida conecte os cabos dos aplicadores ao equipamento até o completo encaixe. Conecte o equipamento à rede elétrica e pressione o botão ON da chave liga-desliga, remova as tampas dos conectores da entrada e da saída de água, conecte a mangueira com funil na entrada de água. Abasteça lentamente o reservatório com água até o extravasamento pela mangueira conectada na saída de água. Após o processo desconecte as mangueiras e tampe os conectores.

Como funciona o CLEAN MODE?

A tecla CLEAN MODE acessa o modo de limpeza do aplicador e cabos do equipamento. Na tela inicial, o usuário inicia a limpeza por meio do ícone “CLEAN MODE” e acessa o passo a passo do procedimento de limpeza.

O que é Peltier? Como ocorre a extração de temperatura no aplicador?
Peltier é uma pastilha termoelétrica localizada na parte interna do aplicador em contato com as placas metálicas laterais. Por meio de estimulação elétrica, este dispositivo extrai calor (resfria) a superfície metálica que está em contato, enquanto libera o calor extraído do outro lado, trocando calor com a água que circula pelo aplicador. Sendo assim, quanto maior o reservatório de água, maior é a quantidade de água que circula pelo aplicador, o que otimiza a troca de calor com o peltier e promove a manutenção eficaz da temperatura durante a aplicação.

Características Técnicas
• 740x740x1350mm
• Peso Líquido: 95 kg
• Peso total do equipamento + acessórios: 113 kg

DESEJA MAIS INFORMAÇÃO:
0800 722 8690 | (16) 98831-0078 Atentimento por Whatsapp

logo rodape loja

VISITE-NOS!

Atendimento Whatsapp